Eu sou uma tesoura legal, eu juro!







         Ruan. escrevo para você porque eu não te conheço. E porque você também não me conhece. E porque talvez eu não te conheça nunca. Então fica mais fácil de escrever.

         Eu ouvi falar de você no auge da parte do divórcio onde você se acha um caramujo desgraçado de pijama – aquela parte em que se fica parecendo literalmente isso, se você imaginar um caramujo desgraçado de pijama. A sua tia, com pena da minha fraca quase nula existência, falou que ia nos apresentar. E eu, que se aparecesse o Chris Pratt nu fazendo pirocóptero na minha frente, ia começar a chorar, falando que ele não prestava, assim como a vida, Deus e todos os outros seres humanos, caguei. Não me importei. Não liguei. A última coisa que eu queria naquele momento era conversar com alguém. Caramujo desgraçado de pijama não beija, só come, toma Rivotril e grita para o universo que a sua falta de sorte é irreversível. Mas não satisfeita com o meu sorriso de “eu vou te matar se você falar mais uma vez que eu preciso namorar”, ela me mostrou suas fotos no Facebook. Sim, você é bonito. Eu achei, de verdade. Mas é aquele bonito que só combina com outros bonitos igual a você. Desculpa, eu não sou preconceituoso, mas você é daqueles saradinhos que usa blusa pólo apertada com aquele jacarezinho do lado. E eu uso blusa do Superman tamanho G.

       “Ele foi para Salvador no carnaval”, disse sua tia, em uma propaganda negativa. Negativa para mim. O máximo que eu chego do carnaval da Bahia são aqueles dois segundos que o controle remoto demora para passar de um canal para o outro durante a transmissão no SBT e mesmo assim eu já fico com aflição daquelas pessoas todas juntas pulando ao lado do trio. É você dizendo que quer ir para Salvador e eu dizendo que quero me encontrar com o Salvador. Não dá, sabe? E mesmo assim, acho que você tem vinte e poucos, e eu tenho trinta e poucos. Bom, essa parte dos “poucos” dá para resolver, dependendo de como você for mentalmente. E digo de novo que não sou preconceituoso.

       Você é legal. Bonito. Os músculos do seu braço são desenvolvidos e tem cor uniforme. O meu é metade branco-estava-em-coma, metade branco fui-no-supermercado-meio-dia. E não tem nada de desenvolvido. Tem uma tatuagem do Superman que precisa de retoque e só. Então, eu é que não sou legal pra você. Agora já passou, não sou mais um caramujo desgraçado de pijama. Mas continuo não sendo legal para você. Acho que se você me conhecesse você ia pensar “Hum, ele não é legal pra mim”. Sei lá, eu acho que as vezes não sou legal para ninguém. Mas tem muita gente que diz que eu sou muito legal. Mas tesouras de cozinha que abrem caixa de leite também são muito legais, mas você pode abrir com uma faca e não ter uma tesoura de cozinha. Então, só pra você saber, eu sou uma tesoura de cozinha que abre caixas de leite. Mas acho que você deve ser intolerante a lactose. Um beijo pra você.

By Sandro Codorniz 19/05/2018

@Gustavo Barberá - 21/05/2018 

Menu

Nenhum comentário:

Postar um comentário