Resenha do livro "Aquilo que os candangos regurgitam"







Título Original: Aquilo que os candangos regurgitam
Autor: Pablo B. P. Santos
Ano: 2018
Editora: Clube de autores.
Páginas: 49
Onde comprar: Amazon


Obra gentilmente cedida pelo autor.


        Aquilo que os candangos regurgitam é um livro de poemas onde sociedade contemporânea, internet, rótulos, comportamento humano e utopia estão implícitos nas palavras que formam cada poema. É um tapa na cara da sociedade para ver se acordam e revejam seu conceitos.

         Sem se preocupar quase em rimar, o escritor traça belas mensagens que leva o leitor a refletir tais assuntos já citados acima, pois cada composição nos toca profundamente. Sentimentos de raiva, tristeza, alívio, força e disposição estão presentes ao longo das linhas dessa obra.









         O livro é composto de vinte e nove poemas, onde cada um irá expressar um dilema da sociedade em que vivemos, onde segundo alguns textos a era da tecnologia está retrocedendo as pessoas ao invés de evolui – las, tornando-se seres alienados, o que infelizmente já existem.

           A exclusão social também está presente no poema “Climão de sexta”, onde as pessoa parecem ser escolhidas para fazerem parte da sua roda de amigos, onde os “descolados e populares” são bem vindos, quem não se destaca, é deixado de lado. Fato que está presente em qualquer lugar e camada social.



"Em abundante harmonia astral
Segue-se o caminho descomunal;
Aspirando ser LUCA, o ancestral,
Não passamos de TNT multimaterial".



          Dentre os poemas da obra, o que mais gostei foi “Atípico [Adj.]”, onde o escritor o deixou bem abstrato e emotivo as linhas redigidas, transmitindo uma melancolia que pode-se dizer que chega até levar o leitor a catarse.







          O livro possui ilustrações muito bonitas, uma linguagem jovem e uma estrutura bem realista, onde pessoas de todas as idades irão poder ler e compreenderão as mensagens que cada poema quer passar. No final do livro há a participação de Lídia de Paula Delgado com o texto “A chuva”, onde ela aborda o desespero das pessoas que perdem suas casas durante as fortes tempestades.


"Quem nunca passou isto, nunca saberá o que é uma goteira na sua pele, ou uma cama molhada, ou tirar a água da chuva que entrou na sua casa, destruindo móveis, tirando o sossego e o pouco deconforto que lhe resta."


          E se você se interessou pelo “Aquilo que os candangos regurgitam”, não deixe de ler essa obra, porque aqui se uniu o útil ao agradável (poesia + crítica social + realidade) de uma forma agradável e sucinta. Vale muito a pena ler. Recomendo.




Sobre o escritor





Formado em Letras, Pablo iniciou a primeira fonte brasileira sobre "A Series of Unfortunate Events", o Desventuras em Série Brasil, reconhecida por Daniel Handler, Companhia das Letras e Editora Seguinte. Autor de "Aquilo que os candangos regurgitam", é colunista e entrevistador para revistas e websites.






@Gustavo Barberá – 25/03/2019.

9 comentários:

  1. Olá!
    Bem interessante a proposta do autor, são realmente elementos fortes que ele escolheu trazer para seu livro de poemas. Achei o título particularmente interessante (foi o que trouxe meus olhos para o post), mas, pelos trechos em destaque, eles não chegaram a prosear exatamente comigo.
    Poesia tem dessas coisas, depende do nosso dia, estado de ânimo e da conexão que conseguimos estabelecer com a narrativa! :)
    xoxo

    ResponderExcluir
  2. Oi, amigo! Sabe que adoro poesias, não é? E a relevância das contidas nesta obra me chamaram, te juro! Arte nas palavras com reflexões a nível social! Puxa, muiiito bom mesmo! Parabéns pela apresentação, pelas artes. Adoro seu capricho por aqui!

    ResponderExcluir
  3. O título do livro é um tanto quanto sugestivo e saber que ele é um, tapa na cara da sociedade me chama atenção. Fiquei curiosa para saber o que cada m desses 29 poemas traz em relação a sociedade que vivemos, que convenhamos, não andam lá estas coisas. Talvez seja uma leitura necessária, então anoto a recomendação, quero ler.


    Abraços.

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    na minha humilde opinião, a era digital não esta de fato fazendo com que a humanidade retroceda, mas sim evidenciando as falhas que todos costumavam esconder. Os ataques de pessoas que se escondem atrás da tela de um computador e não se importam em ferir, nada mais é do que as fofoquinhas realizadas entre quatro paredes ganhando palco. Essa necessidade de mostrar uma vida perfeita no instagram, por exemplo, nada mais é do que aquela vizinha querendo mostrar pra outra que vive muito bem, obrigada... E por ai vai. A internet deu uma dimensão muito maior para atos cotidianos, que eram vistos por poucos ou ninguém. Em resumo, a sociedade sempre foi meio podre, excludente e julgadora, só poucas pessoas haviam notado, agora está todo mundo sobre o holofote, numa disputa desesperada em expôr seus julgamentos disfarçados de opiniões. No que diz respeito ao livro, já me ganhou pelo título.

    Abraços!
    Nosso Mundo Literário

    ResponderExcluir
  5. Oi, Gustavo!
    Primeiro, preciso comentar que concordo com a Delmara. Não acho que a humanidade está retrocedendo com a era digital, mas que está conseguindo evidenciar coisas que ficavam escondidas.
    Agora sobre o livro, não sou a maior fã de poemas, então nunca fico muito interessada neles. Por causa disso, irei passar a dica dessa vez.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Oi Gustavo!
    Adoro poemas, suas palavras sobre os poemas me chamaram a atenção, pois foi bem sincera e direta parabéns. A abordagem é que me cativa pois adoro quando o enredo me surpreende e faz enxergar além do meu umbigo e faz repensar em muitas coisas, obrigado pela dica!

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Achei interessante a proposta da leitura. Os poemas abordarem temas da atualidade, só confirma a perspicácia do autor.
    Acredito que seja uma leitura que traz boas reflexões.

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  8. Oii, tudo bem?

    Não concordo muito com a proposta de que a era digital está retrocedendo a humanidade, mas acho interessante ver os diferentes pontos de vista sobre o assunto, e por poemas deve ser bem mais atrativo.

    Beijinhos!!

    ResponderExcluir
  9. Oi oi,
    Bom, pelo o que estou vendo esta sendo um livro que divide opiniões. Eu gostei da proposta do livro, pois, já li um livro com essa mesma premissa. E achei bem legal, já que no livro Feios, do Scott W. o autor enfatiza esse assunto de humanidade e tecnologia.
    Espero gostar da leitura tanto quanto você.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir