Resenha do livro "Jack, o Estripador - rastro de sangue"




Título Original: Stalking Jack the Ripper
Autor: Kerri Maniscalco
Ano: 2018
Editora: Darkside
Páginas: 352

Para quem é chegado em cadáveres, sangue e corpos dissecados, “Jack o Estripador, rastro de sangue é um livro ideal para se aventurar nas ruas neblinadas e frias e nos porões fétidos, embolorados e repleto de ratos na Londres de 1888. 

        A história se passa em Londres e fala sobre Audrey Rose que não é a típica donzela inglesa do século XIX. Quando ninguém está vendo, a jovem realiza autópsias no laboratório de seu tio, contrariando a vontade de seu pai e todas as expectativas da sociedade. Ela pode não saber fazer um penteado elaborado, mas faz uma incisão em Y num cadáver como ninguém.

       Seus estudos em medicina forense a levam na trilha do misterioso Jack, cujos assassinatos brutais derivados de uma terrível sede de sangue amedrontam a cidade. E Audrey Rose, empoderada desde o berço, quer fazer justiça às vítimas - mulheres sem voz e marginalizadas por uma sociedade extremamente sexista.


“Um odor pútrido me atingiu com tudo no rosto, sem querer, fui cambaleando para trás, quase colocando uma das mãos sobre a boca”. 

      
        Na companhia de Tomas Cresswell, o aprendiz convencido e irritante de seu tio, ela decide seguir seus instintos e os rastros de sangue do notório assassino. Afinal, nenhum homem foi capaz de descobrir sua identidade.

 


 
      É difícil eu me comprometer coma leitura logo de início, pois a história, geralmente me cativa e me torna interessante, depois de algumas páginas lidas, mas com esse foi completamente diferente, logo na primeira página, fiquei totalmente ligado no contexto e querendo saber muito sobre o desenrolar da trama.


“Ele se adiantou, mas antes que pudesse me empurrar para o lado, enfiei a mão fundo no abdômem do cadáver, tateando em volta as membranas esponjosas, até encontrar aquilo que estávamos procurando”.

       
       Com um enredo intenso, fluído e contínuo, o livro te segura na história, você quer descobrir quem é o assassino, fica na expectativa se irá ter mais vítimas ou não e quem serão as tais e em certos momentos senti até sensações cinestésicas como o frio neblinado, pois fiquei muito envolvido no texto.







       Os personagens são bem marcantes com sua próprias características o que deixa o texto bem original, um pai preocupado com as doenças que estavam se alastrando pela Europa naquela época, sua filha Audrey, insistente e determinada em seus projetos e que protegeu seu tio com quem aprendia medicina forense e foi acusado injustamente e Nathaniel - seu irmão – um rapaz astuto e enigmático, sempre com uma carta embaixo da manga, para ser mostrada na hora certa.

 
“Você está interessado em confrontar Jack, o estripador comigo?”

       
       Há algumas cenas no livro que são semelhantes a história do Dr Frankestein, como pedaços de corpos e órgão extraídos para serem usados e experimentos usando – se eletricidade, leva o momento tão parecido com essa outra magnífica obra. Nesses momentos quem gosta de terror, vai ao delírio. Eu comecei achar cansativos os detalhes demasiados que a autora descreve, mas depois de algum tempo, vi que eram realmente necessários para poder entender mais tarde o fechamento dos fatos.
 
 


       Como qualquer obra, assuntos polêmicos vem a tona e aqui é abordado o machismo que está presente sempre na sociedade, desde aquela época. Audrey precisava se disfarçar para poder entrar na turma de seu tio, pois não aceitavam mulheres, seu pai começou a escolher seus pretendentes para ela casar e sua tia começou a força-la a bordar seu enxoval de casamento, coisas que ela não queria fazer, estava com olhos apenas para a medicina e a investigação de saber quem era a pessoa que se passava por Jack, o Estripador e como foi complicado para ela convencer isso.
 

“Venha vestida como se fosse um menino. E se abrir a boca para falar uma palavra que seja, será sua primeira e última vez na minha sala de aula, entendido?”


       O que gostei muito também foi a forma de como o serial killer pegava e estripava suas vítimas, que eram sempre mulheres. O jeito que as encontravam depois é arrepiante e de dar medo de sair de casa a noite. Fantástico a habilidade da autora de descrever os cenários das mortes ocorridas.
 
 
 
 

       Já o momento final, quando descobre quem é Jack o Estripador na trama, só lendo mesmo a obra, porque só irei falar uma coisa: o momento e a cena da descoberta são fantástica, agonizante, assustadora e totalmente psicótica. Vocês precisam saber o que aconteceu. O acabamento do livro, seu design e figuras são lindos e com uma diagramação tranquila e confortável de se ler. A tradução foi de Ana Death Duarte.

@Gustavo Barberá – 24/08/2018

Menu


23 comentários:

  1. Uau Gustavo, sua resenha ficou espetacular! Quero muito ler esse livro, vc instigou minha curiosidade. Espero não ficar cansada tbm, nas partes que descrevem os corpos. Incrível que a autora conseguiu inserir em meio tantas mortes, assuntos relevantes... Os livros da darkside são obras de arte de tão belos!

    ResponderExcluir
  2. Eu sou louca para ler esse livro! Sou completamente apaixonada pela capa e pela edição, que, convenhamos, já é típica da Darkside ser maravilhosa. Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  3. Nossa!!! ja quero ler esse livro Gustavo!
    adoro esse tipo de historia, me lembra muito uma serie que eu assistia, chamada Dexter.

    mas na verdade, ele tinha a identidade obscura, pois ele matava. kkk uma historia bem louca.

    abtacos!

    ResponderExcluir
  4. Sempre fui encantada pela história de Jack The Ripper e todo o mistério que o rodeia. Nossa, a escrita da autora deve ser incrível, para chegar ao ponto de sentir as coisas que ela descreve... Fiquei bastante curiosa, e com certeza vou procurar na próxima vez que estiver em uma livraria.

    ResponderExcluir
  5. Oi Gustavo, tudo bem?

    Desde que esse livro lançou estou louca para lê-lo, pois o enredo parece simplesmente espetacular, do tipo que nos fisga do início ao fim e nos proporciona bons momentos. Esse clima de mistério e de terror, em relação como são mortas as vítimas, apenas me despertam mais vontade de ler. Muito bacana que também seja retratado o machismo. Adorei sua resenha!

    beijos!

    ResponderExcluir
  6. Nossa, que livro interessante... Parece muito bem escrito. Parabéns por expô-lo para nós. Abraço \o

    www.Rapeize Dinâmica.biz | @english.tips.br

    ResponderExcluir
  7. Olá tudo bem???
    Ótima resenha e design do livro é muito bem elaborado, porém não é uma literatura que me atrai.
    www.robsondemorais.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Eu fiquei muito curiosa sobre esse livro, porque acho a história e o mistério ao redor da identidade do Jack, o Estripador, fascinante de uma maneira um pouco mórbida. E a personagem principal parece uma mulher muito interessante.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
  9. uau! Já estava louca para ler apenas porque se tratava de serial Killer agora depois da sua resenha quero ler mais ainda. Adoro livros assim e esta edição esta lindissima

    ResponderExcluir
  10. Eu estava esperando uma critica sobre o momento da descoberta mas fico feliz que ela nao tenha vindo haha A Darkside sempre arrasa demais em suas edições e essa obra em especial me chama a atenção justamente pelo seu comentário, há uma leve critica sobre o machismo na época e achei interessantíssimo o modo como foi colocada.

    ResponderExcluir
  11. Olá! Darkside sempre arrasa com as edições e publicações! Achei incrível este livro ambientado no século passado e com essa história tão conhecida e misteriosa como a do Jack estripador. Achei Audrey interessante e espero muito gostar da história! ♥

    Bjoxx ~ www.stalker-literaria.com

    ResponderExcluir
  12. Amei a resenha! Parece ser um livro bastante intrigante, envolvente..
    Amo histórias deste estilo, com muito mistério!

    ResponderExcluir
  13. Olá!
    Sua resenha está tão convidativa que é impossível não desejar querer ler esse livro pra ontem.
    Quero loucamente descobrir quem está escondido por trás da faceta de Jack estripador.
    Parece uma leitura eletrizante do início ao fim.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  14. Olá, Gustavo!
    Essa é o tipo de resenha que me instiga a procurar o livro e começar a ler, fiquei muito interessada pelo enredo e eu amo histórias assim. Já coloquei na listinha.

    Beijão!
    Lumusiando

    ResponderExcluir
  15. Oie!
    Opa, agora quero saber como é a cena onde descobre quem é o assassino, fiquei bem curiosa para conferir esse momento. Estou desejando esse livro, apenas não deu certo o mês para adquiri-lo. Com certeza vou ler.
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  16. Oi Gustavo, tudo bem?

    Sou completamente alucinada por livros policiais e de investigação, por isso, quando vi esse livro, logo de imediato já o desejei.
    A sua resenha está muito maldosa com nós leitores, agora eu preciso desse livro pra ontem!! hahaha

    beijos

    ResponderExcluir
  17. Olá, tudo bem?
    Quando esse livro foi lançado eu fiquei fiquei dividida entre a curiosidade e o receio. Por um lado, achei o enredo bem interessante e original. Além disso, gostei muito de saber que o livro aborda a questão do machismo na sociedade. Por outro lado, eu não leio terror e saber dessas cenas mais descritivas me desanima bastante.
    Confesso que ainda não sei se leria esse livro ou não, porém, adorei a resenha e fico feliz que a leitura tenha sido tão envolvente.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  18. A sua resenha me fez ter olhos para esse livro, porque antes eu não dava nada por ele! rsrs
    Pelo menos é mais original do que muitos livros que já li sobre Jack, o estripador.
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  19. Olá Gustavo!!!
    Desde o anúncio do lançamento do livro pela editora é que venho paquerando o mesmo, pois de certa forma acabei curtindo a ideia do contexto que o mesmo se passa.
    Li uma resenha anterior que fez eu ter certeza que leria o livro e a sua só confirmou o fato de verdade *-*
    Acho as edições da Dark Side maravilhosa e claro que a gente quer ter esse baby na estante com toda certeza *-*
    Adorei a resenha e já estou curiosa!!!

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Adoro quando um livor nos ganha logo na primeira página e eu acho que isso aconteceria comigo nesta leitura. Adorei as fotos que você colocou na resenha. Amei.
    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Olá, tudo bom?

    Eu também gostei muito da história. Acredito que o que mais me chamou a atenção foi, como você disse, o machismo abordado na obra. Algumas coisas estão enraizadas na nossa sociedade e podemos ver como a vida das mulheres, naquela época, era difícil. Ainda temos muito pelo que lutar, mas fico feliz que já avançamos bastante.
    Além disso, também foi uma narrativa que me prendeu desde o começo e eu gostei do desenvolvimento dos personagens, em que alguns até me surpreenderam, apesar da idade retratada. Estou ansiosa para as continuações dessa série, espero que sejam publicadas logo <3
    Abraços.

    ResponderExcluir
  22. Esse livro há muito me cativa, justamente por ter uma mulher como personagem principal em meio a um enredo que sempre foi retratado ma literatura de modo muito masculinizado. Quando possível, quero conferir como tudo foi narrado e acontece nessa obra. Sempre escuto e leio boas críticas sobre ela.

    ResponderExcluir
  23. Olá Gustavo, tudo bem?

    Eu sou doida para ler esse tipo de livro, mas já tentei alguns outros da Darkside e acabei me decepcionando logo de cara. Aí bate aquele medinho, porque eu tenho pouco tempo livre. Imagina se eu começo com o pé esquerdo novamente? HAHAHA.

    Mas acho que vou acabar me rendendo a ele. Deixa só achar uma promoção bacanuda.


    Beijos
    @blogodiariodoleitor

    ResponderExcluir