Leituras do mês de junho






        O mês de junho rendeu bastante para com minhas leituras. Gostei demais do que li. Vamos conhecer os títulos lidos? Desde já agradeço aos escritores Anderson Assis, Armando Ribas Neto e Alexandre Braoios pela gentileza de ceder suas obras e pela parceria. A ordem de leituras estão no texto e não na foto.





Livro: "A garota desaparecida" - Lisa Gardner

Sinopse: Sete anos atrás, a estudante Flora passou 472 dias vivendo um pesadelo. Após ter sido sequestrada durante as férias de primavera, ela descobriu até onde o ser humano é capaz de ir para sobreviver.

Depois de resistir milagrosamente a tamanha tortura, viveu os últimos cinco anos tentando voltar a ter uma vida normal. O amor de sua mãe permanece o mesmo, mas outras coisas mudaram em sua rotina: seu irmão tem medo da pessoa que Flora se tornou, e no quarto dela há uma parede coberta com fotos de outras garotas que nunca voltaram para casa.

Quando a detetive D. D. Warren é convocada para a cena de um crime, descobre que Flora está envolvida com outros três suspeitos desde seu retorno à sociedade. Mas a garota desaparece novamente, e D. D se dá conta de que um predador sinistro está a solta e, desta vez, determinado a fazer com que Flora Dane nunca mais escape.






Livro: "O beijo de Darwin" - Alexandre Abroios

Sinopse: Política, ciência e religião. Esses são três dos pilares fundamentais que regem as relações entre os seres humanos em sociedade. O que acontece quando esses três elementos se misturam?

Diana é uma mulher idealista que vive em São Paulo, para onde fugiu de sua cidadezinha ainda jovem, afastando-se da opressão de seus pais, o prefeito Agnaldo e a Bispa Tereza, com quem nunca mais teve contato. Na fuga, foi obrigada a deixar para trás também seus irmãos gêmeos, Aquiles e Davi.

Focada em seu trabalho acadêmico como bióloga, a doutora em genética e evolução leva a vida já adaptada à sua rotina de laboratório e aulas, encontros casuais e diversão fugaz, até que um dia, ao receber um e-mail anônimo informando sobre a morte de seu irmão Aquiles, Diana vê-se impelida a voltar à sua cidade natal, Trindade do Norte, no interior do estado, um oásis de prosperidade em meio ao caos que vivem as cidades brasileiras.

Agora Diana terá de confrontar antigos fantasmas: sua relação espinhosa com os pais, seu sentimento de culpa por ter abandonado os irmãos e o peso de amizades há muito esquecidas. Suas convicções serão postas à prova quando se encontrar no meio de uma investigação sobre a morte do irmão em estranhas circunstâncias e sobre o poder e influência dos pais na excêntrica cidade, onde tudo e todos parecem tristes personagens de um faz de conta.


 




Livro: "Marvin Grinn e a chave mestra" - Armando Ribas Neto

Sinopse: Houve uma vez um duelo de magia, sem vencedor.
Houve uma vez uma rixa entre famílias, que perdura a quase cem anos.
Houve uma vez um tempo em que varinhas mágicas eram permitidas.
Houve uma vez um lugar onde se podia praticar magia livre de proibição.
Houve uma vez uma chave capaz de levar seu possuidor em qualquer lugar no espaço e no tempo.
Houve uma vez uma varinha que podia fazer todos os quatro elementos se curvarem a sua vontade.
Houve uma vez um livro, onde todos os bruxos do mundo guardavam ali seus segredos.
E houve uma vez um menino, com um olhar de duas cores, que chegou para mudar a história como é conhecida hoje.








Livro: "Hellraiser" - Clive Baker

Sinopse: Escrito em 1986, Hellraiser – Renascido do Inferno apresentou ao público os demoníacos Cenobitas, personagens criados por Clive Barker que hoje figuram no seleto grupo de vilões ícones da cultura pop como Jason, Leatherface ou Darth Vader. Toda a perversidade desses torturadores eternos está presente em detalhes que estimulam a imaginação dos leitores e superam, de longe, o horror do cinema.

Clive Barker escreveu o romance Hellraiser – Renascido do Inferno (The Hellbound Heart, no original) já com a intenção de adaptá-lo ao cinema. O cultuado filme de 1987 seria sua estreia na direção, e ele usou o livro para mostrar todo seu talento como contador de histórias a possíveis financiadores. Nas palavras do próprio Barker: “A única maneira foi escrever o romance com a intenção específica de filmá-lo. Foi a primeira e única vez que fiz assim, e deu resultado”.

De leitura rápida e devastadora, Hellraiser – Renascido do Inferno conta a história de um homem obcecado por prazeres pouco convencionais que é tragado para o inferno. Inspirado nas afinidades peculiares do autor, o sadomasoquismo é um tema constante em sua arte.

 






Livro: "Danilo e o evento de anime" - Anderson Assis

Sinopse: Danilo é um garoto apaixonado por Just Dance e que terá a oportunidade de ir pela primeira vez a um evento de anime.
Ávido por cada detalhe, ele pesquisa as atrações e atividades do evento e compartilha com seus amigos a novidade. Cada minuto se torna precioso perante a aproximação do evento e enquanto o dia não chega, ele faz o que pode para se distrair e segurar a ansiedade.

Uma história comum e sensível , ‘‘Danilo e o Evento de Anime’’ é um convite a conhecer um pouco da cultura pop.

Uma história sobre a paixão por JustDance.
O amor pelo Cosplay.
Um mundo de tribos e costumes.
E acima de tudo...
Uma história sobre amizade e diversão!







Livro: "A revolução dos bichos" - George Orwell 

Sinopse: Verdadeiro clássico moderno, concebido por um dos mais influentes escritores do século 20, 'A Revolução dos Bichos' é uma fábula sobre o poder. Narra a insurreição dos animais de uma granja contra seus donos. Progressivamente, porém, a revolução degenera numa tirania ainda mais opressiva que a dos humanos. Escrita em plena Segunda Guerra Mundial e publicada em 1945 depois de ter sido rejeitada por várias editoras, essa pequena narrativa causou desconforto ao satirizar ferozmente a ditadura stalinista numa época em que os soviéticos ainda eram aliados do Ocidente na luta contra o eixo nazifascista.

De fato, são claras as referências: o despótico Napoleão seria Stalin, o banido Bola-de-Neve seria Trotsky, e os eventos políticos - expurgos, instituição de um estado policial, deturpação tendenciosa da História - mimetizam os que estavam em curso na União Soviética. Com o acirramento da Guerra Fria, a obra passou a ser amplamente usada pelo Ocidente nas décadas seguintes como arma ideológica contra o comunismo. O próprio Orwell repetiria o mesmo gesto anos mais tarde com seu outro romance 1984, finalizado-o às pressas à beira da morte para que o mesmo service de alerta ao ocidente sobre o horrores do totalitarismo comunista.

É irônico que o escritor, para fazer esse retrato cruel da humanidade, tenha recorrido aos animais como personagens. De certo modo, a inteligência política que humaniza seus bichos é a mesma que animaliza os homens. Escrito com perfeito domínio da narrativa, atenção às minúcias e extraordinária capacidade de criação de personagens e situações, A revolução dos bichos combina de maneira feliz duas ricas tradições literárias: a das fábulas morais, que remontam a Esopo, e a da sátira política, que teve talvez em Jonathan Swift seu representante máximo.


 






Livro: "A herança de Stonehenge" - Sam Christer

Sinopse: Oito dias antes do solstício de verão, um homem é esquartejado num terrível sacrifício no local antigo de Stonehenge perante uma congregação de adoradores com trajes cerimoniais. Em poucas horas, um dos mais famosos caçadores de tesouros do mundo suicida-se na sua mansão no campo. E deixa uma carta indecifrável ao seu filho, o jovem arqueólogo Gideon Chase Juntando-se à intrépida mulher polícia de Wiltshire, Gideon rapidamente desmascara uma sociedade secreta uma legião antiga e internacional devota ao Stonehenge durante centenas de anos. Com um novo e carismático líder para a conduzir, este culto encontra-se no momento envolvido em rituais com sacrifícios humanos numa tentativa horripilante de desvendar o segredo das pedras. Repleto de códigos, simbologia, suspense impiedoso e detalhes fascinantes sobre a história de um dos mais misteriosos lugares do mundo, A Herança do Stonehenge é um thriller de enorme sucesso que rivaliza com o melhor de Dan Brown. A Herança de Stonehenge de Sam Christer.

 


Um comentário:

  1. Oi Gustavo!

    Adorei suas leituras de junho! Rendeu bem mesmo! Esse das aventuras de Grinn me chamou muito a atenção! Gosto muito de fantasia.
    Feliz em ver "A herança de Stonehenge" aqui. :)

    Beijos,
    Amanda

    ResponderExcluir