Resenha do livro "BTK - Máscara da maldade"








Título Original: BTK Profile
Autores: Dennis Lynn Rader, Roy Wenzl, Tim Potter, Hurst Laviana e L. Kelly
Ano: 2019
Editora: Darkside
Páginas: 416
Onde comprar: Amazon, Darkside


     Ler uma obra que chocou toda uma população dos Estado Unidos com crimes hediondos e que demorou anos para prender o assassino que os cometeram, não foi nada fácil, pois em “BTK – máscara da maldade” temos uma história chocante e perturbadora, pior que muitas histórias de horror publicadas.

     A obra nos conta a trajetória de Dennis Rader, pai e marido dedicado, membro voluntário do clube de escoteiros e Diretor da Igreja Luterana de sua região e... assassino! Torturava e matava suas vítimas de forma cruel e fria, sem nenhuma misericórdia, o que ocorreu por mais de trinta anos.




     A obra já começa com tudo, narrando o primeiro assassinato realizado por Rader, onde o leitor caso leia à noite essa passagem, com certeza terá um sono conturbado, de tão monstruosa que é seu ato. E sempre tendo sorte de despistar a polícia.


“Sinto muito, disse Raider. Sei que ela é um ser humano. Mas eu sou um monstro”.

     Em alguns momentos durante a leitura, pelo que ele faz, não tem como duvidar se ele possui algum desequilíbrio mental, alguns comportamentos por sua parte não provém de uma pessoa lúcida, mas fica em jogo se isso faz parte da sua estratégia de serial killer para confundir as autoridades ou se é patológica mesmo.


     Um ponto que chamou demais a minha atenção foi a implicância que ele tinha por cachorros, não sei o porquê disso e de sua antipatia por eles, tanto que ao implicar com um desses caninos, ele perseguia e fazia de tudo para separá-lo de seu dono. Seria isso uma de suas táticas, uma obsessão ou algo parecido? Fiquei na dúvida. 


“Eu tinha mais satisfação me preparando para aquilo e com o que vinha a seguir do que enquanto matava a pessoa”.

     Em relação a leitura, houve momentos em que ela era bem fluída, os autores iam bem no foco do assunto e relatavam o que o leitor deseja saber, mas no decorrer da mesma, começam a enrolar, deixando a narrativa cansativa demais, ficam dando voltas e abordando fatos desnecessários, que se não estivessem lá, não fariam falta alguma. Eles só deixaram a leitura arrastada e desinteressante. O livro possui capítulos curtos no começo e no decorrer da leitura vão se intercalando com capítulos extensos.
   


     Ainda bem que conforme o final se aproximava, houve uma mudança que a deixou surpreendente. O julgamento e principalmente o comportamento do povo em relação a Dennis Rader deixará o leitor perplexo, como por exemplo, o fato de seu comportamento bizarro fazer com que ele receba cartas de mulheres apaixonadas por ele, lhe pedindo em casamento, sendo que foi explicitado todas as atrocidades que ele fez com as vítimas femininas. Outra ação que se estranha é o fato da polícia deixa-lo escrever cartas e se comunicar com o mundo exterior através de telefonemas e encontros na cadeia. Esse cara deveria ficar incomunicável.


“[...] ele pegou um rolo de corda e andou até Judie e com sua voz chorosa suplicante ‘O que você vai fazer’... ele passou a corda em volta do pescoço dela e a estrangulou devagar. Josephine gritou, ‘mamã – eu te amo’”.

     Se você deseja saber com detalhes os crimes que esse monstro realizou, tenha coragem e leia BTK, que é uma leitura forte e para pessoas com nervos de aço, pois tem muito mais para você que está lendo essa resenha saber sobre seus atos hediondos. A tradução foi de Eduardo Alves.


@Gustavo Barberá – 08/03/2020.




11 comentários:

  1. Essa capa é linda mas eu jamais leria esse livro porque sou muito impressionável, mas ele é uma perfeita indicação para presente para os amigos mais trevosos.
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi, Gustavo!
    Por sempre estar querendo conhecer mais sobre os crimes reais, já tinha ouvido alguma coisa sobre o BTK, mas não conhecia os detalhes dos seus crimes.
    Gostei da sua resenha, mas no momento não sei se leria.
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com/2020/03/resenha-estamos-bem.html

    ResponderExcluir
  3. Olá tudo bem ? A capa me lembrou PLL....
    Mas é beeeem sinistro tudo isso, eu não gosto desse tipo de leitura, tenho um pouco de medo e agonia na verdade, me causa muito incomodo. Então é uma dica que eu acabo passando.
    Beijos
    www.estilo-gisele.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Essa capa foi uma escolha acertada, mas ela me assusta.
    Com certeza essas leituras são sempre fortes e chocantes, difícil imaginar tanta crueldade e no caso do BTK, eu achei ele um tanto imbecil também.
    Apesar dessas partes arrastadas, considerei uma boa leitura e eu quase não sabia nada desse serial killer.

    bjs

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Admito que este tipo de leitura é fora da minha zona de conforto, porém saber que é real, me deixa com o sentimento de dever ler um dia. Imagino que seja bem chocante e forte mesmo, por isso estou me preparando para uma futura leitura. Ótimas fotos e resenha!
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Confesso que essa obra não me chama atenção, principalmente por ser um gênero do qual não estou acostumada. De qualquer forma, gostei da sua sinceridade na resenha e uma pena que ela não desenrolou muito bem em alguns pontos. De qualquer forma, fico imaginando o que esse livro pode apresentar além do que você contou. Deve ter muuuita coisa mesmo!

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
  7. Eu gosto de ler sobre essas figuras humanas estranhas. Me interesso por descobrir como se estabelece o monstro no humano e como se trava a batalha entre um e outro. Não me espanta as cartas escritas por mulheres "apaixonadas". O ser humano tem uma estranha paixão pelo horror. Não chamaria de paixão, mas é como enxergam essas figuras carentes e frageis.
    Quero muito ler esse livro, até o vi na livraria na semana passada. Mas no momento não tenho como folhear essas páginas, mas pretendo fazer isso em breve.

    bacio

    ResponderExcluir
  8. Olá Gustavo!!!
    Eita, eita fiquei curiosa e acho que isso se dar porque atualmente ando curiosa por histórias de Serial Killers.
    O chato mesmo que vi vai ser por essas partes mais descritivas.
    Adorei a resenha.

    lereliterario.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Oi Gustavo!
    Apesar de ser muito curiosa sobre esse gênero de leitura, não sei se teria coragem de ler esse livro, sua resenha me deixou com medo de ler. Fiquei um pouco chocada sobre seu depoimento em relação ao serial killer, de mandar e receber correspondência e também receber visitas se ele é tão perigoso porque permitiam? Parabéns pela resenha, quem sabe mais afrente leio, obrigado pela dica. Abraços!

    ResponderExcluir
  10. A Darkside nunca brinca em serviço, né? Só edição bonita demais! Eu sou curiosa pra ler essa obra mas ao mesmo tempo sei que a descrição é bastante pesada e como voce mesmo mencionou, o sono será conturbado.

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem? Eu estou louca por esse livro, ele é um super desejado, a cada resenha fico mais animada para ler o quanto antes, só me falta money mesmo hahaha, mas vontade não!

    ResponderExcluir