Projeto #12MesesComClarice2020 - Resenha do conto “Feliz aniversário”








Conto: Feliz aniversário
Livro: Clarice Lispector – Todos os contos
Autora: Clarice Lispector
Editora: Rocco
Ano: 2015
Páginas: 656
Onde comprar: Amazon

Em mais uma etapa do projeto #12MesesComClariceLispector, trouxe a resenha do conto “Feliz aniversário” que é um dos mais brutais e perturbadores quer Lispector trouxe até o presente momento do projeto.

     O conto nos traz história de D. Anita, uma senhora quer mora com sua filha solteirona Zilda, que está completando 89 anos e a família está prestes a se reunir para comemorar seu aniversário.

     É aquela típica festa de aniversário familiar, com salgadinhos, sanduíches e bolo, momento onde seus filhos, noras e netos ser reúnem, mas quer não traz alegria nenhuma para D. Anita, pois ela perceber quer Zilda organizou esse momento apenas para manter a impressão de uma família unida e manter assim os laços.




     No fundo, a velha despreza os seres opacos, azedos, infelizes que gerou. Sujeitos treinados só para macaquear a felicidade, enquanto sofrem por dentro sem nem mesmo perceber que sofrem. Seres que não suportam o pensamento, que lidam mal com os sentimentos e para quem a vida nada mais é que a sustentação de um script.

“De vez em quando consciente dos guardanapos coloridos. Olhando curiosa um ou outro balão estremecer aos carros que passavam. E de vez em quando aquela angústia muda: quando acompanhava, fascinada e impotente, o voo da mosca em torno do bolo”.

     Em um determinado momento da festa, a velha cospe no chão. Esse ato é a figura que manifesta, no nível discursivo, o fato de os laços de família não se sustentarem mais, extremamente fragilizados no momento em que se encontram. Com essa atitude, por outro lado, a velha senhora provoca a raiva da filha Zilda, que teme a sanção negativa dos irmãos.




     A família mostra-se perdida diante da polêmica da ruptura que a velha senhora empreende, pois com sua cólera, faz cair as máscaras da falsidade que adornam o rosto de seus componentes.
 
“E quando a mesa estava imunda, as mães enervadas com o barulho que os filhos faziam, enquanto as avós se recostavam complacentes nas cadeiras, então fecharam a inútil luz do corredor para acender a vela do bolo, uma vela grande com um papelzinho colado onde estava escrito 89″.

      É um conto que aborda bem as relações de algumas famílias, onde passam uma boa aparência, mas na realidade é repleta der conflitos internos, entre eles.


@Gustavo Barberá – 06/06/2020.





Um comentário:

  1. Uma coisa que me impressiona nesse conto é a maneira como a personagem D Anita demonstra desgosto por não poder confiar nos filhos. Eu li duas vezes e confesso que fiquei em dúvida se ela os enxerga como seres opacos e fracos ou se eles realmente são assim.

    ResponderExcluir