Resenha do conto "Em garras"

 






Conto: Em garras
Autor: Igor Paiva
Ano: 2018
Editora: Independente
Páginas: 16
Onde comprar:
Amazon

*Conto gentilmente cedido pelo escritor.

 

Não existe nada mais revigorante e fortalecedor do que uma excelente noite de sono. E se essa paz fosse quebrada por um ser das trevas, onde em um pequeno cochilo que fosse, sua vida estaria em risco, o impedindo de poder realizar tal condição fisiológica necessária para nosso organismo? É o que Igor Paiva traz nesse conto.

 

     Aqui temos Helen, uma garota que está vivendo a base de chocolates e café, pois está evitando dormir há dias, pelo motivo de um ser com garras e um sorriso sinistro aparecer em seus sonhos com a capacidade de passar para sua vida real os acontecimentos em que neles se sucedem.

 

 

     Esse conto é inspirado na saga “A hora do pesadelo”, e foi escrito para a antologia “Horror show”, onde suas histórias eram baseadas em filmes de terror dos anos 80 e 90. E olha, esse do Igor Paiva, ficou sensacional! As sensações que o filme nos proporciona são as mesmas lendo sua narrativa.

 

“O peito ardia em dor, pelo fôlego que não tinha. Helen respirava descompassadamente, sentindo um alívio por poder inspirar novamente”.

 

     Os momentos de terror, as cantigas, a casa, as crianças pulando amarelinhas são inseridas no conto, mas não fica como uma cópia do filme, aqui o autor expõe toda sua criatividade e originalidade, nos dando uma história semelhante, mas com seu toque de horror e impressionismo, deixando o leitor atormentado e arrepiado com o que está lendo, mas ao mesmo tempo demasiadamente curioso para saber onde que essa história irá chegar.

 

 

     É um conto curto, mas o suficiente para assustar, a forma como Igor descreve o ambiente e as atrocidades do ser infernal aqui presente, são o suficiente para tirar nosso sono e nos deixar receosos em dormir.

 

“Do lado de fora, as luzes dos postes começaram a piscar, o vento frio tornou-se agressivo, fazendo com que os galhos das árvores se balançassem. Logo as lâmpadas explodiram, uma a uma, distribuindo estilhaços de vidros pelo chão numa forma inexplicável, como num curto-circuito. Logo a rua foi tomada pela escuridão”.

 

     Essa história, para mim, foi incrível. Uma narrativa de terror da forma que eu gosto, repleto de sangue e muita carnificina. Portanto, se ficou curioso, não deixe de conferir, está na Amazon. Corra e garanta o seu. Só não o leia à noite, pois não garanto se você conseguirá dormir depois.

 

 

Sobre o autor

 

Me chamo Igor Paiva, tenho 21 anos, moro em Governador Valadares – MG e sou escritor de terror. Estudo Arquitetura e Urbanismo, mas sou um grande amante de psicologia, que ainda pretendo me formar também e me especializar em jurídica ou criminal. 

 

Sou autor do livro Narcóticos e comecei a escrever com 14 para 15 anos e não parei mais. Sempre escrevo alguma coisa, seja um conto ou um esboço de uma história. (Fonte, clique aqui.)

 

 

 

 

 

 

@Gustavo Barberá – 17/10/2020.

 

Menu

Um comentário:

  1. Como boa fã de histórias de terror que eu sou, sempre gostei dos filmes do Freddy Grueger. Imagino que uma história que traga elementos do universo dele deve ser muito interessante. Fiquei bem curiosa para ler esse conto. Aliás, me interessei por essa antologia que você mencionou. Devem ter saído histórias incríveis baseadas nos filmes de terror de 80/90.

    ResponderExcluir