Resenha do livro "O Iluminado"








Título Original: The Shining
Autores: Stephen King
Ano: 2017
Editora: Suma de letras
Páginas: 520
Onde comprar: Amazon

O Iluminado é uma das primeiras obra de Stephen King e que vem conquistando o público até nos dias de hoje. Uma história muito bem bolada, instigante e perturbadora, que não se conteve em ficar impressa, nas páginas de um livro e acabou se transformando em adaptação e presenteando seus fãs, pois sua estreia aconteceu no dia 25 de dezembro de 1980 e com personagens fera de Hollywood como Jack Nicholson e Shelley Duvall no papel dos protagonistas.

          O livro conta a história de Jack Torrance que vai para o elegante e isolado hotel Overlook com sua esposa Wendy e seu filho Danny, para trabalhar como zelador durante o inverno e aproveitar a tranquilidade daquele local para escrever uma peça que ele espera ser publicada. Só que as coisas não acontece como o planejado. Demônios enterrados há anos naquele local despertam e começa a atribular a vida dessa família.
 



          O impressionante é a leitura que se faz nessa obra, apesar de ser enorme. Parece que a história te hipnotiza, te segura e não deixa você largar a história de forma alguma, quanto mais se lê, mais se deseja. Em momento algum ela te deixa cansado ou com tédio, nunca se torna arrastada ou sem sentido.


“O tempo passou. E ele começava a relaxar, começava a compreender que a porta estava aberta e que podia sair, quando as mãos mortas há anos inchadas, fedendo a peixe, fecharam-se suavemente em torno de seu pescoço e foram virando para que ele encarasse aquele rosto morto e roxo”.


          Esse é um dos melhores trabalhos de Stephen King, pois encontramos um mistura de terror, thriller psicológico, suspense e até uma pitada de fantasia que juntos, construíram um ambiente sombrio, bizarro e aterrorizante, deixando o leitor perturbado e ao mesmo tempo curioso para saber o que irá acontecer nas próximas páginas.





          Narrada em terceira pessoa, o livro possui um enredo em que King se superou no quesito horror. Ele estava muito inspirado e valeu a pena. E ressalto que a adaptação mudou muito coisa do livro, inclusive seu final que é totalmente diferente da obra, o destino de cada personagem e até o cenário. É com se fossem duas histórias semelhantes, sendo poucas passagens iguais, mas ambas aterrorizantes, permanecendo a essência que King deixou nela.


“A mulher na banheira estava morta há muito tempo. Estava inchada e roxa, a barriga cheia de gases emergindo da água fria, as bordas congeladas, como uma ilha de carne. Os olhos dela fixos nos de Danny, vidrados e imensos como bolas de gude. Sorria maliciosa, os lábios roxos arreganhados numa careta”.


          Na edição da biblioteca Stephen King, o livro traz um bônus que são um prólogo e um epílogo que foi cortada pelos editores quando “O Iluminado” foi lançado. Intitulados “Antes do ato” e “Depois do ato”, respectivamente, eles foram incluídos nessa edição que está maravilhosa.

 
  
          Portanto, quem apenas assistiu o filme e curtiu demais, então não imagina o que espera na obra que está mil vezes melhor. O Iluminado com certeza será a obra mais consagrada de Stephen King, onde uma vez lançada, está até hoje nas paradas dos livros mais lidos. A tradução foi de Betty Ramos de Albuquerque.




Sobre o escritor

          Stephen King (1947) é um escritor norte americano, autor de best-sellers do gênero de terror e da fantasia. É um dos autores mais adaptados para o cinema e também para a televisão.

Stephen Edwin King (1947) nasceu em Portland, nos Estados Unidos. No dia 21 de setembro de 1947. Filho de pais separados passou sua infância em Fort Wayne, Indiana, com a família do pai. Com onze anos foi morar com a mãe em Durban, no Estado de Maine. Estudou o ensino médio na Lisboa Falls High Scholl, graduando-se em 1966. Ingressou na Universidade de Maine, em Orono, época em que escrevia uma coluna semanal para o jornal da escola. Graduou-se em 1970, com licenciatura em inglês para lecionar no ensino médio. Nessa época escrevia histórias curtas para revistas locais.

          Em 1971 começou a lecionar inglês no Hampden Academy. Nesse mesmo ano casa-se com Tabitha Spruce, sua colega de universidade. Continuou escrevendo nas horas vagas. Em 1973, seu romance “Carrie”, foi aceito por uma editora e publicado em 1974. No ano seguinte publicou “A Hora do Vampiro”.

          Stephen King tornou-se o autor de diversos best-sellers, publicou mais de cinquenta romances, quase todos nos gêneros do terror e da fantasia. É um dos autores mais adaptados para o cinema e também para a televisão, como a série “O Domo”. O seu livro “A Zona Morta” originou a série da Fox com o mesmo nome. Escreveu roteiros de episódios para a série Arquivo X, entre eles, “Feitiço”, da quinta temporada.

          Apesar do grande destaque para a literatura de terror, Stephen King escreveu algumas obras fora desse gênero, que também foram levados ao cinema, entre eles, “Conta Comigo”, “Um Sonho de Liberdade” (contos retirados do livro “Quatro Estações”), “Christine”, “Eclipse Total”, “Lembranças de um Verão” e “A Esperança de um Milagre”.

          O exagero e extravagâncias de seus livros ganharam versões memoráveis nas mãos de grandes cineastas. “Sou um escritor visual, e isso atrai cineastas”, disse o escritor. Entre os seus livros de terror que foram levados ao cinema estão: “Carrie, a Estranha” (1974), “A Hora do Vampiro” (1975), adaptado para o filme “Vampiros de Salem”, “O Iluminado” (1977), entre outros.
Stephen King fez participações especiais em várias adaptações cinematográficas de suas obras, bem como pequenos papeis. Em 1985, fez sua estreia como diretor e roteirista do filme “Maximum Overdrive”, uma adaptação de seu conto “Trucks”.

          Em 2003, Stephen King recebeu a Medalha Nacional da Fundação do Livro, por sua contribuição à literatura americana. Em 2014, Stephen lançou “Revival”, romance gótico pop sobre um roqueiro amaldiçoado por um estranho amigo de infância.

@Gustavo Barberá – 18/01/2020.

10 comentários:

  1. Eu adorei a publicação. Eu tenho essa edição da Suma das Letras e achei ótimo você pontuar as novidades que ela traz. King é incrível e, sem sombra de dúvidas, O Iluminado - junto com Carrie - é a obra mais famosa dele. ♥

    ResponderExcluir
  2. Essa edição está maravilhosa!!! E concordo no quanto King deveria estar inspirado quando escreveu essa obra, uma das minhas favoritas dele.
    A adaptação está bem diferente do livro em alguns aspectos e quando li acabei me surpreendendo. Mas gosto dos dois.

    bjs

    ResponderExcluir
  3. Suas fotos ficaram muito boas. Já assisti ao filme, mas faz muito tempo, embora me lembre de ficar com um certo medinho hehe. Quero muito ler o livro algum dia, e alguns amigos me disseram que é um bom começo para quem nunca leu King!

    ResponderExcluir
  4. Esse é o melhor livro do King, realmente ele estava inspirado e fez uma obra incrível! É uma leitura eletrizante, que nos faz querer saber mais e mais do que vem nas próximas páginas. Hipnotizante! Infelizmente o filme mudou muita coisa, inclusive o King nunca gostou dessa adaptação.

    ResponderExcluir
  5. Estou chocada! Não fazia ideia que "O iluminado" foi baseado em livro! O filme está na minhas lista e agora o livro também!

    ResponderExcluir
  6. EU não sei, sinceramente acho que estou a superar o signore King. Tenho lido sobre ele e acompanhado certos comentários que me afastaram de seus escritos. O último veio recentemente.
    No caso de O iluminado, gostei mais da versão para o cinema (não é a primeira vez que acontece em se tratando do signore King) que do livro. Achei que a loucura do personagem no livro é mediana, quase inexistente, enquanto na tela, é explicita.
    No livro, ele parece tentar nos convencer de que a família se ama, apesar de tudo e, em determinado momento estava com raiva do drama do autor fracassado-alcoólatra, parece até que ele tem tanto medo de si que serviu de fio condutor para o personagem e tenta justificar-se. No filme, não temos essa compaixão e nem esse olhar cuidadoso. E eu gostei mais do final do filme também. rs

    bacio

    ResponderExcluir
  7. Resenha incrível. O iluminado foi um dos primeiros livros do King que eu li e não parei mais. Essa edição da biblioteca Stephen King é simplesmente linda, não só esse volume né. E não poderia deixar de falar aqui que a adaptação é muito ruim.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Gustavo! Uma super edição e, por sinal, uma obra sempre muito elogiada, assim como você, na sua bela resenha. menino, fiquei ainda apaixonada na máquina de datilografar da Olivetti! acredita que tinha uma da Remington, mas perdi na época da tragédia aqui em Friburgo, em 2011? Adorei seu trabalho com a escrita e as imagens! Acabando "Cujo", quem sabe eu não leia!? ;) Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Olá!
    Lembro que vi esse livro na série Friends e fiquei muito curiosa. Li e foi um dos melhores e mais assustadores livros que já li.
    Beijão!
    Lumusiando

    ResponderExcluir
  10. Sou suspeita para falar do King porque é um dos meus autores favoritos. A forma que ele escreve me envolve e os personagens me cativam (ou despertam meu ódio! rs) como nenhum outro escritor é capaz de fazer. Enfim, essa talvez seja uma das minhas obras preferidas, mas não sei se minha opinião vale muito, porque cada novo livro dele que eu leio se torna um dos favoritos! Falando sério, minha preferida ainda é It, mas o Iluminado certamente está no Top 5. E esse é um dos raros casos em que gosto do filme tanto quanto do livro. Sei que o Sr King não é grande fã do filme, mas eu gosto bastante, mesmo com as mudanças.

    ResponderExcluir