Resenha do livro "O labirinto do Fauno"

 


 

 

Título Original: Pan’s Labyrinth: The Labyrinth of the Faun
Autores: Guilhermo del Toro e Cornelia Funke
Ano: 2019
Editora: Intrínseca
Páginas: 320
Onde comprar:
Amazon

 

O labirinto do Fauno é uma fantasia que irá conquistar o leitor logo de início, nas primeiras páginas de uma forma mágica, o conduzindo para um reino de fadas, bruxas, seres malignos e muito mais. A obra se tornou um grande sucesso que virou adaptação para as telas.

 

     A obra nos conta a história de Ofélia, onde aos treze anos suas melhores companhias são os livros e durante a Guerra na Espanha Fascista, ela muda-se de casa e no lugar em que se instala há histórias de amoro e horror envolvidas simultaneamente. Lá a garota conhece um Fauno e a partir desse momento muitas aventuras e surpresas darão início.

 


     Essa obra me surpreendeu de uma forma que jamais esperava. Devorei a história em poucos dias, pois ela me chamava para ler cada vez mais, não conseguia largar, além de ter capítulos curtos, a mesma me hipnotizava, pois em momento algum possui alguma passagem desinteressante, sempre há novidades e fatos que me deixaram surpreso.

 

“A morte é uma amante que se deve temer, e só há um jeito de superar esse medo: se tornando seu executor”.

 

     A ambientação que os autores criaram me seduziu demais, ficou bem o estilo de uma trama fantástica, mesmo havendo passagens de uma realidade triste e cruel que se passa na família de Ofélia e sua mãe.

 

     Fatos históricos aparecem no texto como a Guerra Civil Espanhola, onde inúmeras mortes aconteceram e nesse contexto, o padrasto de nossa pequena protagonista, um homem cruel, lava suas mãos com sangue de inocentes e sem piedade comete as piores torturas possíveis.

 

    

 O livro desperta um turbilhão de sentimentos no leitor, de todas as formas possíveis, isso faz com que a essência da história te cative e te leve a catarse. Se você for uma pessoa sensível, prepare o lenço em alguns momentos.

 

     Narrada em terceira pessoa, o enredo dessa obra desperta a imaginação com o mundo mágico que os autores constroem. Me senti em outro mundo, bem distante da minha realidade, enquanto realizava a leitura, me diverti demais em certos momentos, fiquei horrorizado em outros e perturbado em determinadas situações, mas isso deixa essa obra com uma identidade marcante e sensacional. Del Toro e Funke estão de parabéns!!!

 

 

     Então, se deseja entrar nesse mundo mágico junto de fadas, Faunos, bruxas e muita história, não deixe de ler essa incrível obra, que além de ter uma história de tirar o fôlego, possui um projeto gráfico perfeito, maravilhoso. É uma leitura que recomendo para todos. A tradução foi de Bruna Beber.

 

 

 

Sobre os autores

 

 

 

Guillermo del Toro (Guadalajara, 9 de outubro de 1964) é um cineasta, roteirista e produtor mexicano.

 

Criado pela sua avó, Del Toro desenvolveu interesse por cinema quando adolescente. Mais tarde, aprendeu sobre efeitos e maquiagem com Dick Smith (que trabalhara em O Exorcista e vários curta metragens). Por dez anos, trabalhou como supervisor de maquiagem, até formar a sua própria companhia, Necropia, no começo dos anos 80. Dirigiu ainda programas para a TV Mexicana, onde aprendeu a fazer filmes.

 

Em 1986, aos 21 anos, Del Toro foi produtor executivo de seu primeiro filme, Dona Herlinda e seu Filho. Seu primeiro sucesso foi Cronos, em 1992, filme que ganhou nove prêmios no México e se tornou um sucesso em Cannes. Seguindo o sucesso de Cronos, dirigiu um filme de Hollywood, Mimic (1997) com Mira Sorvino. Decepcionado com o resultado pobre deste filme, retornou ao México, formou a produtora The Tequila Gang e conquistou a crítica com o filme de horror atmosférico A Espinha do Diabo, uma história de fantasma situada na época da Guerra Civil Espanhola. Em 2002, Del Toro voltou a Hollywood para dirigir Blade 2 e, em 2004, dirigiu Hellboy. Conquistou o estrelato com O Labirinto do Fauno, filme de fantasia sombria similar a A Espinha do Diabo, que foi indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 2006.

 

     Depois da continuação Hellboy II: The Golden Army, lançado em 2008, Del Toro focou-se no trabalho de produtor. Desistiu de dirigir O Hobbit para apenas ajudar no roteiro devido aos atrasos da produtora em dar andamento. Desde 2010, é parceiro da DreamWorks Animation, produzindo e supervisionando os filmes animados do estúdio.  Em 2013, dirigiu o filme Pacific Rim, uma homenagem aos filmes de monstro japoneses. Em 2015, dirigiu A Colina Escarlate, um romance gótico.

 

     Del Toro mora em Los Angeles e foi casado com Lorenza Newton de 1997 a 2017, com quem teve duas filhas: Mariana e Marisa. Também investiu na literatura, escrevendo A Trilogia da Escuridão em parceria com Chuck Hogan.

 

     Del Toro foi participou do jogo Death Stranding de Hideo Kojima que conta com Norman Reedus como personagem principal e Mads Mikkelsen como coadjuvante, interpretou o personagem 'Deadman'. O jogo foi lançado no PlayStation 4 em 8 de novembro de 2019 e no PC em 14 de julho de 2020.

 

 

Cornelia Funke nasceu em 1958, na cidade alemã de Dorsten, no estado da Renânia do Norte-Vestfália, na então Alemanha Ocidental, filha de Harlz-Heinz e Helmi Funke. Quando criança, queria se tornar astronauta e ou uma piloto de avião, mas depois decidiu estudar Pedagogia na Universidade de Hamburgo.  Depois de terminar seus estudos, Funke trabalhou durante três anos como assistente social, se focalizando em crianças carentes.

 

Cornelia se casou com Rolf Funke em 1981 e o casal teve dois filhos, Anna (nascida em 1989) e Ben (nascido em 1994).  A família Funke viveu em Hamburgo, antes de se mudarem para Los Angeles em maio de 2005.  Em março de 2006, Cornelia perdeu seu marido para o câncer.

 

@Gustavo Barberá – 30/11/2020.

 

Menu

 

Um comentário:

  1. Eu vi o filme e fiquei impressionada com a história, com a leitura com certeza a experiência se tornará mais completa ainda. Realmente o projeto gráfico do lindo está lindo, gostei demais!

    ResponderExcluir